paciência

February 16, 2010 at 10:36 pm (Uncategorized) (, , )

[…]e minhas questoes pessoais continuavam tão más quanto no dia em que nasci. A única diferença era que agora eu podia beber de vez em quando, embora nunca o suficiente. A bebida era a única coisa que impedia um homem de se sentir para sempre atordoado e inútil. Todo o resto ia furando e furando sua carne, arrancando seus pedaços. E nada tinha o menor interesse, nada. As pessoas eram limitadas e cuidadosas, todas iguais. E eu teria que viver com esses fodidos pelo resto da minha vida, pensei. Deus, todos eles tinham cus, órgãos sexuais e bocas e sovacos. Cagavam e tagarelavam, e todos eram tão inertes quanto esterco de cavalo. As garotas pareciam legais a certa distância, o sol resplandecendo em seus vestidos, em seus cabelos. Mas vá se aproximar e ouvir seus pensamentos escorrendo boca afora, você vai sentir vontade de cavar um buraco ao sopé de uma colina e se entrincheirar com uma metralhadora. Eu certamente nunca conseguiria ser feliz, me casar, nunca teria filhos. Inferno, eu nem mesmo conseguia um emprego como lavador de pratos.

Misto Quente – Bukowski

Advertisements

2 Comments

  1. marinautsch said,

    Exatamente como eu me sinto…E o diabo é que agora com esse negócio de nova era e quem somos nós acaba que a gente fica se sentindo desautorizado a se sentir assim. Enfim, é uma merda. E o pior é ouvir gente ignorante e ter de ficar calado porque a pessoa vai te responder achando que entende melhor a situação do país do que você e que quem luta no mst é tudo vagabundo e coisa e tal. Gente que ainda tem idéias do tipo “jogar bombas em todos os vagabundos pobres que não trabalham”. E você não pode fazer nada, não pode discutir com essas pessoas. E o único pensamento que consegue ter é exatamente o mesmo: “como pessoas assim deveriam sumir do mapa logo pro planeta evoluir mais rápido”. E vc fica indignado e triste e já não acredita em revolução…achando todo mundo burro…ou como se vc mesmo estivesse num aquário gigante sem superfície. e só tem um mínimo cantinho onde tem uma bolha de ar que vc de vez em quando vai pra respirar…é aquele canto do sagrado…mas você nunca sabe exatamente onde ele está e é preciso procurar sempre bastante…beijo, zé! desculpa pelo desabafo angustioso…mas me pegou o Bukowski… Ut

    • zepower said,

      é bom ouvir um pouco desses desabafos, sempre… me sinto constantemente como você, algum tipo de aprisionamento dentro de nossa sociedade. É fácil perceber como ela não permite a diferença e gosta de se manter sempre num processo REPRODUTIVO maluco de uma vida nada admirável(e que nem eles mesmos admiram). Vejo isso com a quantidade de perguntas absurdas que temos de responder pra fazer qualquer coisa que nao esteja dentro de um sistema já estabelecido, enfim, um ode à falta de criatividade.

      Bem, a solução (?) é um pouco dessas bolhas mesmo!! saca esse post que roubei do dani: https://zepower.wordpress.com/tag/tuaregs/ . Estamos de certa forma em um deserto, e temos realmente de fazer muita força pra enxergarmos vida nele, mas ora ou outra encontramos nossos Oásis, seja ele uma prática, uma meditação ou uma pessoa. Nada que vá nos completar ou algo parecido, mas que vai permitir nossos movimentos com alguma segurança.

      Aqui pode não ser seu Oásis, mas é permitido que xingue e se incomode sem questionamentos ou vigilância, Ut!! Um bjão,

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: